quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Na vida há três coisas seguras: a morte, os impostos e os computadores que perdem os dados

Deve ser por influência da onda mística do milénio. A malta parece acreditar que as tecnologias de informação são qualquer coisa de mágico. Mas, de facto, trata-se apenas de máquinas construídas por engenheiros muito espertos. :-)

Em todos os ramos de engenharia sabe-se uma coisa fundamental: as máquinas avariam sempre. Mais tarde ou mais cedo. Mas sempre. Nunca falha.

Se calhar, os computadores deviam ser vendidos com uma banda semelhante aos maços de tabaco, a dizer: "ESTE COMPUTADOR VAI PERDER OS DADOS QUE LÁ ESTÃO REGISTADOS E NÃO HÁ NADA QUE O POSSA IMPEDIR".

Portanto façam backups. Tenham computadores de reserva. Preparem-se, porque a avaria vem aí. Só não sabemos quando. A crer na sabedoria popular e nas leis de Murphy, será na altura em que o computador faz mais falta.

Vem isto a propósito de quê? É que uma organização nossa conhecida teve ontem um percalço absolutamente desnecessário: têm a base de dados corrompida por uma provável falha no hardware e o último backup é de há 3 semanas atrás. Para cúmulo, há seis meses atrás, o servidor já tinha avisado que o disco se estava a queixar de uma provável falha e que devia ser substituído.

É uma pena que ainda haja quem pense que a informática é milagreira. Não é.