quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Recém-licenciados das TI não sabem produzir sistemas de informação

Uma das conclusões mais chocantes do recente trabalho "Competências a reforçar na formação dos profissionais de TI em Portugal", do Grupo de Trabalho das Competências, da ANETIE é que os recém-licenciados não sabem o suficiente sobre construção de interfaces nem sobre produção de informação.

Não conheço estatísticas sobre esta matéria. Mas julgo que não estará muito longe da verdade a afirmação de que mais de 90% dos licenciados em cursos ligados às TI estarão envolvidos profissionalmente na produção ou exploração de Sistemas de Informação de Gestão. Isto é: bases de dados, formulários electrónicos, relatórios operacionais ou analíticos, troca de informação entre sistemas, etc..

Ora o que a ANETIE apurou junto dos seus associados é que entre as maiores lacunas encontradas nos licenciados do sector que se vão depois dedicar à engenharia de software, os conhecimentos sobre coisas básicas como écrans de entradas de dados e emissão de relatórios são extremamente baixos.

Outra queixa frequente das empresas é a falta de domínio da Língua Portuguesa. Não posso senão concordar. Nesta era da Internet, escreve-se e lê-se mais do que nunca, mas a qualidade da escrita e da interpretação está a baixar de forma preocupante. A iliteracia funcional, alastra mesmo ao pessoal que chega ao nível de uma licenciatura, e a responsabilidade de resolver o problema deve ser assumida por toda a sociedade.

O trabalho realizado pela ANETIE hierarquizou as lacunas na formação em três carreiras distintas: engenharia de software, engenharia de sistemas e comercial. Para as três carreiras, as empresas destacam uma lacuna comum: a falta de competência em normalização e processos, que se associa às questões das normas de qualidade, maturidade, gestão do serviço, etc., e que está relacionada com a imagem projectada pela empresa e também com a sua eficiência.

No quadro geral das lacunas encontradas na formação dos profissionais de TI, a ANETIE apurou que deverá haver uma maior preocupação com as soft-skills. O topo da tabela geral de preocupações ficou assim:
  1. GESTÃO POR OBJECTIVOS
  2. GESTÃO DE EQUIPAS E LIDERANÇA
  3. COMUNICAÇÃO ESCRITA
  4. COMUNICAÇÃO PRESENCIAL
  5. NORMALIZAÇÃO E PROCESSOS
  6. MELHORIA CONTÍNUA E INOVAÇÃO
  7. PENSAMENTO CRÍTICO
  8. SEGURANÇA
  9. GESTÃO DE CONFLITOS E INTELIGÊNCIA EMOCIONAL
  10. ARQUITECTURAS E SISTEMAS DISTRIBUÍDOS
Para quem não tiver tempo para ler o Relatório, sugere-se a leitura do excelente resumo produzido pela Semana Informática nº 868.