terça-feira, 11 de março de 2008

Comunidade Portuguesa de Alfresco

Alfresco é uma plataforma de gestão documental em open-source baseada em tecnologias Java e standards abertos. Criada por uma equipa liderada por John Newton (co-fundador da Documentum) e John Powell (ex-COO da Business Objects) em 2005, está rapidamente a ganhar uma enorme adopção por parte de organizações de todo o tipo.

Entre as funcionalidades mais importantes do Alfresco:
  • Pesquisas sobre texto livre e sobre metadados
  • Classificação de documentos
  • Histórico de versões de documentos
  • Configuração de acções automatizadas sobre o documento (conversão para outro formato, envio de e-mails de notificação, contadores automáticos e possibilidade de definir acções personalizadas)
  • Acesso via FTP, WebDAV e por partilha de rede, para além do interface original web (alguns dirão 2.0)
  • Definição de meta-informação personalizada para os documentos
  • Configuração de Regras de Workflow
  • Fóruns de discussão sobre os documentos
  • Definição de templates com estrutura e regras
  • Integração com diversas bases de dados
  • Integração com sistemas de autenticação
  • Integração com o Microsoft Office

Em Portugal, à semelhança do resto do mundo, há um número crescente de instalações piloto e algumas implementações já em exploração. O que muitas vezes começa com uma instalação experimental transforma-se rapidamente, com um investimento mínimo, num projecto viável de arquivo, indexação e tratamento de documentos.

A partir daí, as coisas podem complicar-se. No bom sentido.

Quem tiver tempo e disponibilidade pode usar o Alfresco para gerir as várias versões dos documentos, gerir workflows, gerir meta-informação documental, etc. O Alfresco pode ser "costumizado" em termos de interfaces e funcionalidade. E quem não o tiver pode recorrer a um crescente número de empresas que dão apoio técnico à sua utilização.

Entre outras distinções, o Alfresco já ganhou o BOSSIE Award para a categoria de Content Management em 2007, ficando à frente de grandes referências como DotNetNuke, Drupal, Joomla, e Plone. Os factores decisivos foram a facilidade de utilização, funcionalidades, segurança, escalabilidade e ferramentas de gestão, assim como o dinamismo da comunidade e a organização que lhe dá suporte.

Desde há uns meses para cá existe já no Alfresco Forge (um repositório de projectos complementares ao Alfresco) um projecto para a tradução do Alfresco para Português de Portugal.

Criou-se agora a Alfresco Portuguese Community, formada por gente interessada nesta plataforma. Este grupo tem por objectivo partilhar informação técnica sobre o Alfresco para aumentar a visibilidade do Alfresco e para facilitar a sua implementação nas organizações nacionais.

Se a gestão documental é uma área que vos interessa, juntem-se à comunidade.