terça-feira, 7 de outubro de 2008

Carreiras

Conhecem decerto o site ActiveTechPros, onde podemos constatar a miséria que os nossos patrões nos pagam, e comparar com a miséria que outros ganham por esse mundo fora.

Só pra chatear aqui ficam os números de alguns países. Quem diria que aqui na Doce e Verde Irlanda se ganha mais do que na Velha Albion! Era como se em Portugal se ganhasse mais do que em Espanha...

Média em k€ para System Developers

Portugal: 21 (334)
Espanha: 31 (256)
Irlanda: 49 (146)
UK: 48 (1235)
USA: 56 (244)

idem, para Project Managers

Portugal: 36 (185)
Espanha: 46 (250)
Irlanda: 65 (46)
UK: 63 (461)
USA: 66 (100)

Da mesma fonte surgiu agora um relatório - Portugal IT Salary & Skills Snapshot 2008 - que revela números semelhantes - 24k para System Developers, 39k para Project Managers, num universo de 399 respondentes de entre os quais 152 pessoas são PM's e 115 trabalham. :)

Agora, eu nao tenho nada contra essa tão nobre classe profissional, se bem que, tal como na estória do "C-Monkey", eu nunca os tenha visto a fazer nada, ou como dizia o outro, "eles falam falam falam falam falam falam falam, mas eu nunca os vi a fazer nada!!!"

Mas agora a sério, eu sei por experiência própria que PM é um trabalho chato, burocrático, "pesado", e eu não o faria nem que me pagassem 39k (ou 65k no meu caso), mas o que acho é que em Portugal são muito poucos os Project Managers que o são por "vocação", que têm "paixão", que são capazes de ficar até às tantas da manhã a fazer, bem, não sei ao certo, aquilo que os PM's fazem...

Pelo contrário, conheço muitos, muitíssimos programadores que possuem essa "chama" que os fazem trabalhar horas a fio, as mais das vezes mal pagos, às vezes a resolver coisas "impossíveis" (que por acaso é o que mais gozo dá) e que se calhar chegam a casa e ainda vão para o computador ver as últimas.

Acho que infelizmente quem vai para PM são pessoas que passam pela programação e, devido à falta dessa paixão, e não quero ser injusto dizendo de capacidade, optam por seguir a via mais fácil e que ainda por cima é (será?) em média mais bem remunerada, e em vez de se andarem a chatear com a chatice da programação, passam a chatear... os programadores!

Porque, ao fim ao cabo, o PM quer mensurar o imensurável, quer meter o Rossio na Rua da Betesga, quer saber o que o principio da incerteza do projecto não permite saber. Quer-nos fazer crer que "não devemos reinventar a roda" - como se os F1 usassem rodas de carroça - quando reinventar a roda é a mais das vezes útil - torna-nos melhores programadores enquanto indivíduos e é a melhor forma de obtermos vantagem concorrencial sobre os nossos competidores enquanto empresas.

Notem que não quero generalizar, até porque em geral é perigoso generalizar, e estou certo que existem muitos e bons profissionais nessa área. Mas ninguém me tira da ideia de que PM's são um dos "males necessários" da Ciência da Informação, tal como, entre outros, os utilizadores e os computadores...

Com tudo isto, pretendo dizer que uma "carreira" como programador é o caminho a seguir por quem "gosta" disto, é uma parvoice tentar seguir o caminho do "management" só porque isso é visto como uma "subida" na carreira, porque o Project Manager ganha mais dinheiro, porque o programador nos tempos que correm é visto já como uma entidade "inferior", ninguem se chama hoje a si próprio "programador" mas "software engineer", "systems architect", "solutions designer" (ou qualquer destas designações em diferentes combinações), toda a gente é sénior com um ano de experiência, e até já existem "consultores juniores", o que me parece a mim uma contradição nos termos.

Pera lá, mas o "ganha mais dinheiro" faz jeito, ou nao? É uma falsa questão. Ninguém ganha mais dinheiro porque "é" isto ou "é" aquilo. Ganha-se mais dinheiro porque se é bom a fazer as coisas que se fazem. Porque o nosso trabalho pode fazer a diferença, especialmente num mercado tão competitivo como IT.

E acreditem, no final é o programador que faz a diferença, não o gestor de projectos...