sexta-feira, 28 de abril de 2006

Compiladores (1) - Introdução

A informática saiu da sua "idade média" em parte ajudado pelo aparecimento de linguagens de programação de mais alto nível do que o assembler dos CPU(s).
Os computadores,no entanto, executam sequências de instruções muito particulares. Estas variam normalmente de versão para versão de um CPU e entre fabricantes de CPU(s).
Com as linguagens de programação consegue-se criar programas que funcionem em várias máquinas.

Para executar o código (normalmente textos numa linguagem com uma gramática bem definida) existem programas que convertem essa linguagem para a da máquina concreta. A esses programas chamam-se compiladores. Os compiladores fazem parte da computação desde os anos 50.

Um compilador é um programa complexo. Em 1958, um compilador de fortran demorava algo como 18 meses / homem a ser construído.

No inicio o maior problema dos compiladores era a quantidade de memória ram ou disco disponível. Por isso era tentava-se construir os compiladores em passo-único . Isto significa que o programa era lido e convertido apenas numa leitura do seu código fonte.

Nos últimos anos, o disco e a memória não são claramente um problema. Desta forma os compiladores evoluíram muito e a sua arquitectura actual é bastante completa, com fases bem divididas e com interfaces bem definidos entre fases.

Este post é uma introdução pois participo no desenvolvimento de um compilador da linguagem Informix 4gl. Já à algum tempo que iniciei uma mudança com os seguintes objectivos:
  • Aplicar uma arquitectura moderna (com separação clara e interfaces entre fases).
  • Atingir um nível de produtividade de produção e manutenção.
  • Criar um compilador cuja gramática (na altura da sua compilação) pode facilmente variar.