quinta-feira, 24 de maio de 2007

Stallman em Lisboa



Lá fui ver o Richard Stallman.
Irreverente como sempre não deixou os créditos por mãos alheias apresentando-se descalço.

Continua com facilidade em falar e como sempre demonstrou grande entusiasmo nas tarefas em que está embrenhado.
Veio falar da versão 3 da GPL - General Public Licence.

Finalmente penso ter percebido os principais objectivos e consequências da nova versão:
  • Obrigatoriedade de quem doar código também o fazer com as patentes que este implementa. É importante porque as empresas que doam código poderiam mais tarde processar os utilizadores ou programadores de derivados por utilização de patente-
  • Não obrigar à distribuição dos sources com os binários (nem eu sabia que na V2 tinha de o fazer :-) )
  • Estender a todos os utilizadores GPL acordos entre empresas detentoras de patentes que e outras que usam software GPL para que os utilizadores das segundas nunca possam ser processados pela primeira. Esta clausula aparece devido ao recente acordo entre a Novell e a Microsoft.
  • Limitar a utilização de software GPL aos fabricantes que tentem que software GPL modificado não possa ser executado nos seus dispositivos. Esta preocupação deriva da forma como a Tivo faz um checksum do software GPL usado para que os utilizadores não possam modificá-lo e continuar a usá-lo na sua televisão.

Hoje estava com uma especial falta de paciência a responder às perguntas mostrando-se por vezes irritado com a assistência. Um activista político como ele é tem de ter cuidado para não erodir as suas próprias hostes.